Ser Oblata / Missão

Conheça um pouco mais

A missão evangelizadora de Jesus é realizada pelas Irmãs Oblatas no compromisso solidário e caminho compartilhado com as meninas, jovens e mulheres que se encontram em contextos de prostituição e/ou no enfrentamento na luta pelas que são vítimas de tráfico com fins de exploração sexual. Uma missão que nos compromete na defesa de seus direitos, na busca de oportunidades de promoção e inclusão e leva-nos a estabelecer estreitas relações de cumplicidade, desde o reconhecimento e a igualdade.

As crises socioeconômicas e humanitárias, juntamente com as profundas transformações sociais, políticas e culturais,
demonstram como a pobreza, a exclusão estrutural e a desigualdade, tem particular impacto nas mulheres. Isto nos
desafia a:

  • Manter-nos em dinâmica de discernimento, com uma perspectiva global, para atualizar a compreensão da missão
    à luz dos novos desafios gerados pela dinâmica social e cultural.
  • Permanecer no imperativo evangélico para entrarmos em contextos de exclusão e prostituição, com implicação profética, solidariedade real e afirmação do Deus da Vida.
  • Empenhar-nos na defesa dos direitos humanos civis, culturais e sociais das mulheres em contextos de prostituição ou no enfrentamento na luta junto às vítimas de tráfico com fins se exploração sexual, libertando-nos de uma sociedade onde prevalece o preconceito e a rejeição deste grupo de mulheres.

Objetivos

  • Fortalecer ações de aproximação à realidade concreta das mulheres, que livres de preconceitos e estereótipos, criam vínculos que dão início a processos de empoderamento.
  • Gerar serviços e ações socioeducativas que despertem as potencialidades adormecidas nas mulheres, reforcem sua autonomia e o crescimento como líderes.
  • Criar, através do trabalho em rede com outras pessoas e grupos, pontes de justiça e solidariedade, para que as mulheres consigam uma inserção qualificada e o pleno exercício de seus direitos como cidadãs em sua realidade.
  • Realizar um trabalho de sensibilização e conscientização sobre a violação dos direitos deste setor social e, em articulação com diferentes instituições, desenvolver ações de incidência para melhoria das políticas públicas.
  • Participar do trabalho em rede com pessoas consagradas e outras organizações sociais, religiosas e políticas, fortalecendo ações de prevenção, sensibilização, proteção, assistência e denúncia do tráfico de pessoas.